Os Melhores Vinhos de Portugal

c468256fc5f3e89c37128107191a061eNaturalmente atento ao que se vai passando nas redes sociais quando o tema é o vinho reparei, mais uma vez, na guerrilha fétida que vai grassando pelos teclados de alguns que tomam para si o poder absoluto de estipular o que é ou não passível de ser bebido, fotografado, publicado e mesmo como é que tudo isso deve ser feito.

Já conto alguns anos com estas histórias e, em fim-de-semana de distribuição de prémios por uma das mais amadas publicações de vinhos do País, eis que tudo volta a ser motivo de buzz inchado de gases estomacais.

Se certas larachas já são esperadas vindas dos canais e sujeitos habituais, alguns mudam conforme o bater do vento ou da presença e envolvimento ou não nesses dias ou noites de luxuria. Depreendo um misto entre azia convulsa e o ataque aos protagonistas de sempre, apenas porque sim. Ódios de estimação, lutas vencidas e olhos perdidos.

Os Melhores Vinhos de Portugal são sempre por isso motivo para bocas, boquinhas e picanços que apenas ficam entre os mesmos de sempre. Quem consome e realmente compra vinho está a cagar-se para esse turbilhão inócuo de ironias partilhadas e de tiros de faz de conta. Quem realmente compra vinho gosta de ver o que é bonito e fofinho, prefere comprar o que é reconhecido por ter qualidade e acaba por se afastar do que já cheira mal e dos tesões que acabam sempre em punheta com dedicatória.

Advertisements

Primeira Nota de Prova

A minha primeira nota de prova é assim. Vazia. Se calhar porquê eu não faço provas de vinho. Há por aí muito que também não o faz. Finge que faz. Eu bebo vinho. Gosto de beber vinho. Cuspir vinho? Que falta de respeito para quem tanto deu de si a fazê-lo. Quantos são afinal os portugueses compradores habituais de vinho, que consomem vinho diariamente, que acham piada à prova? Querem é beber vinho e ter boa companhia para o beber.

Tem esta cor, tem aquela nuance, brilha, ofusca, ‘tá cheio de borra. É Vinho!! São rosas, flores que só nascem quando a lua está em quarto miguante, fruta vermelhas, pretas, azuis, baunilhas, cavalinho ou surro. É vinho! Boca larga, porosa, vegeal, frutado, acídulo,longo, elegante. É vinho!  Olho, Cheiro e Bebo. Gosto compro, não gosto não compro.

Vinho Branco Com Sub-17 no Banco

A minha refeição da noite foi hoje acompanhada por um belo vinho branco. Pleno de frescura, cheio de garra e com uma acidez rasgada que me fez namorar com ele por cerca de copo e meio. Não interessa o nome ou região  neste momento. Gostei, e isso é o que me interessa.

Ao mesmo tempo assistia em directo à final da Liga Europa, o branco limpava-me os sentidos e de vez em quando fazia um zaping pelos chamados canais de noticias. Queria saber o resultado dos Sub-17 no Europeu da categoria. TV, net, onde raios está o resultado!!! Tanta merda com a Liga Europa que colocaram os Sub-17 no banco! Vai mais um gole de branco!

2-0 perante a Holanda. Portugal está na final. Deixa-me escolher um vinho para a ocasião.

ContraVinum

ContraVinum. Não confundir com Contra o Vinho. Um erro que poderá ser efectivo para quem chegar aqui com pressa de ir embora, para quem habitualmente lê na horizontal ou diagonal ou para quem pouco saber de Português.

ContraVinum em jeito de Contra-Informação. Não irei agradar a todos, nem todos me irão achar uma bela treta, alguns, porém, poderão achar piada e outros nem por isso. Serei só Eu, a escrever umas larachas acerca daquilo que gosto muito, daquilo que apenas gosto e daquilo que gosto pouco.

ContraVinum e contra corrente, contra dilúvios e contra o que é contra. Fotos lindas de morrer, vídeos com pós-produção à lá Spielberg, palavras bonitas e bufas com cheiro a rosas é coisa que não haverá por aqui. Até porque na minha idade um certo dito cujo não aprende ciências e por vezes, do interior já muito usado, não brotarem flores do campo.

ContraVinum à espera da vossa companhia e dos vossos comentários numa tentativa de diálogo que pode por breves instantes poder ser moderado com tonalidades de azúl censura.

Até já aos que depois destas palavras ainda pensam cá voltar um dia…